"A BUNDA DURA"


Por Arnaldo Jabor



Tenho horror a mulher perfeitinha. Sabe aquele tipo que faz escova toda manhã, tá sempre na moda e é tão sorridente que parece garota-propaganda de processo de clareamento dentário? E, só pra piorar, tem a bunda dura!!!
Pois então, mulheres assim são um porre.
Pior: são brochantes.
Sou louco?
Então tá, mas posso provar a minha tese.
Quer ver?


a) Escova toda manhã: A fulana acorda as seis da matina pra deixar o cabelo parecido com o da Patrícia de Sabrit. Perde momentos imprescindíveis de rolamento na cama, encoxamento do namorado, pegação, pra encaixar-se no padrão 'Alisabel', que é legal... Burra.


b) Na moda: Estilo pessoal, pra ela, é o que aparece nos anúncios da Elle do mês. Você vê-la de shortinho, camiseta surrada e cabelo preso? JAMAIS! O que indica uma coisa: ela não vai querer ficar desarrumada nem enquanto estiver transando.


c) Sorriso incessante: Ela mora na vila dos Smurfs? Tá fazendo treinamento pra Hebe? Sou antipático com orgulho, só sorrio para quem provoca meu sorriso. Não gostou? Problema seu. Isso se chama autenticidade, meu caro. Coisa que, pra perfeitinha, não existe.. Aliás, ela nem sabe o que a palavra significa... Coitada.


d) Bunda dura: As muito gostosas são muito chatas. Pra manter aquele corpão, comem alface e tomam isotônico (isso quando não enfiam o dedo na garganta pra se livrar das 2 calorias que ingeriram), portanto não vão acompanhá-lo nos pasteizinhos nem na porção de bolinho de arroz do sabadão. Bebida dá barriga e ela tem H-O-R-R-O-R a qualquer carninha saindo da calça de cintura tão baixa que o cós acaba onde começa a pornografia: nada de tomar um bom vinho com você. Cerveja? Esquece!


Legal mesmo é mulher de verdade!!!! E daí se ela tem celulite? O senso de humor compensa.. Pode ter uns quilinhos a mais, mas é uma ótima companheira. Pode até ser meio mal educada as vezes, mas adora sexo. Porque celulite, gordurinhas e desorganização têm solução (e, às vezes nem chegam a ser um problema). Mas ainda não criaram um remédio pra futilidade.

E não se esqueça..... "Mulher bonita demais e melancia grande, ninguém come sozinho!"

Cheia de manha


[...]

E dançou sem perceber o que o corpo fazia
E cantou sem compreender o que a letra dizia
E quase como um sonho bom
Onde entreter tambem era brincar
Mamãe mandou eu insistir

E a vida persiste
Dizendo não existe
Estrela tamanha
essa menina é cheia de manha

Ja não sabia se era início ou fim
Vivia imersa numa infância de festim
Era criança, menos infantil
[...]

Pra manter ou mudar


Tudo que eu queria dizer
Alguém disse antes de mim
Tudo que eu queria enxergar
Já foi visto por alguém
Nada do que eu sei me diz quem eu sou
Nada do que eu sou de fato sou eu?
Tudo que eu queria fazer
Alguém fez antes de mim
Tudo que eu queria inventar
Foi criado por alguém

Nada do que eu sou me diz o que eu sei
Nada do que eu sei de fato é meu?

Algo explodiu no infinito
Fez de migalhas
Um céu pontilhado em negrito
Um ponto meu mundo girou
Pra criar num minuto
Todas as coisas que são
Pra manter ou mudar

Sempre que eu tento acabar
Já desisto antes do fim
Sempre que eu tento entender
Nada explica muito bem

Sempre a explicação me diz o que eu sei:
"Sempe que eu sei, alguém me ensinou"

Algo explodiu no infinito
Fez de migalhas
Um céu pontilhado em negrito
Um ponto meu mundo girou
Pra criar num minuto
Todas as coisas que são
Pra manter ou mudar

Agora reinvento
E refaço a roda, fogo, vento
E retomo o dia, sono, beijo
E repenso o que já li
Redescubro um livro, som, silêncio
Foguete, beija-flor no céu,Carrossel, da boca um dente
Estrela cadente
Tudo que irá existir
Tem uma porção de mim
Tudo que parece ser eu
É um bocado de alguém

Tudo que eu sei me diz do que sou
Tudo que eu sou também será seu

Confusão



Talvez eu esteja com medo por quase saber o que eu quero
e por não querer saber ou mesmo querer algo
medo por ver coisas sérias acontecendo,
coisas que eu gosto,
coisas que tento evitar,
coisas que não consigo parar,
coisas que me confundem,


momentos nos quais quero ser eu mesma,
momentos nos quais não posso ser eu mesma,
mesmo eu sendo mais divertida que essa falsa caricatura,
momentos que acontecem no tempo errado,
momentos que acontecem da melhor maneira possível...



insegurança por ser menina e mulher demais
insegurança pelo fato das coisas estarem acontecendo exatamente como eu quero
insegurança pela segurança que eu sinto




e uma grande confusão na minha cabeça por conseguir ver as coisas claramente
confusão porque as coisas estão tão claras que chegam a me cegar
confusão porque não sou acostumada a tudo ir bem
porque no final das contas acho que não sei mais viver se não for em confusão


afinal nem consigo entender porque tudo está nos eixos [?!]


talvez pelo fato de viver sempre em confusões eu sinta uma estranha necessidade de confusões

Chegada


Voltei !

Ainda insegura por não saber o que está acontecendo;

ou exatamente por saber

Ainda tímida por saber que errei

E sem saber o que realmente vai acontecer

O importante é que ele não me mandou mais embora

E acho que tudo entrou nos eixos

(pelo menos por enquanto)

E das antigas quando eu pensava que meu problema era o amor



Um dia, ouvi dizer que amar era bom. Será que é mesmo??? Eu acho que apenas os tolos amam de verdade. Uma vez eu fui feliz e foi exatamente quando não sabia o que era o amor; quando não amava ninguém.
Amar alguém é sofrer com saudade mesmo quando se está perto; abraçar já sentindo a solidão do “fim do abraço”; sorrir de alegria com lágrimas nos olhos pensando na despedida.
Amar também é desesperar-se na falta do outro; morrer um pouco só por não poder respirar o mesmo ar; temer a escuridão, não por ela ser misteriosa, mas por perder seu amor de vista.
Talvez um pouco de ciúme de si próprio; medo do futuro que as próprias ações ocasionarão. E que futuro é esse que nos põe em situações triviais com escolhas “comuns” que na verdade nos escondem a verdadeira escolha?
Amar é complicado! À partir de qual momento pode-se dizer que amamos alguém? E até que ponto deve-se superar os obstáculos?
Talvez nós amemos alguém a partir do momento no qual paramos em um lugar qualquer, ignoramos as pessoas ao nosso redor e simplesmente escrevemos um texto sobre algo que mal sabemos o que realmente é!
Acho que devemos superar os obstáculos até quando tivermos força não só para levantar de uma queda, mas também para levantar os outros.Possivelmente amar pode ser algo insano, porém não mais insano que o próprio ser humano, que querendo ou não se entrega ao amor.

Pessoas pelas quais sou apaixonada


O menino que toca as músicas agitadas que eu mais gosto e não sabe disso. Pena que fuma.

O menino dos dedos magrelos que passa os dias realizando seus sonhos e alentando os meus. Pena que tem namorada.

O menino por quem eu sempre fui encantada e que eu ajudei a encontrar namorada. Idem acima.


O menino que queria ganhar muito dinheiro mas depois descobriu um caminho mais enriquecedor. Pena que o timing já passou.


O menino que enchia minhas quintas-feiras de luz e poesia e imagens tão tristemente lindas e lindamente tristes. Pena que é corinthiano demais.


O menino que faz um monte de coisas que me entediam, mas pensa um monte de coisas que me inspiram. Pena que dança demais.

O menino que eu acabei de conhecer. Pena que acabei de conhecê-lo.


O menino que está sempre querendo me fazer rir, até quando eu grito com ele sem razão. Pena que me dá muita razão para gritar com ele.


O menino que tem o ombro que encaixa direitinho na minha cabeça. Pena que está longe.


O menino que sempre me fez rir e chorar. Pena que tem família.


por Ana Carolina Moreno e com algumas modificações

[...]


Quando consigo a emoção, ainda tenho a audácia de não querê-la. Quero paz, sossego e... humm.. O que toda mulher quer. Utopia... Cada vez mais vejo que vivo de utopias. Da menos romântica. Talvez seja a mais. Bosta...

Minha eterna ciranda


"E eu me pergunto se viver não será essa espécie de ciranda de sentimentos que se sucedem e se sucedem e deixam sempre sede no fim."
Caio, nosso amado Caio.

É, Caio também me conhece,
(sai dessa ciranda que eu duvida ~ tina)


Atualizando : HA! Eu saí!

Adoles[...]cendo


Ela se divertiu
Por fazer uma coisa errada,
Por um riso insano e inconseqüente,
Por uma situação completamente maluca,
Por ser adolescente,
Pelo gostinho do novo

Pelo gostinho do pecado...



E como era gostoso!

Despedida


E ela pensou que estava tudo indo mal, boba!
Tanto pensou, que agiu como tal

É... parece que tudo ficou mal mesmo

Ela ainda tentou resolver!

Tentou entender o que estava acontecendo

Até que tentou conversar
Ele disse "vá embora"
Ela realmente foi!

Ao meu ex


[...]Já que ele encontrou meu blog e também porque não seria justo depois de tanto tempo juntos não existir o mínimo relato de uma relação tão conturbada e tão calma![...]

Lembro-me bem, ou talvez nem tão bem quanto quero lembrar, pois também consigo ver todos os motivos de discussões (como eram idiotas)...

[...]

Mas onde parei mesmo? Exatamente, nas lembranças!
Era tão divertido, será que foi sempre tão divertido e eu acabo lembrando só das discussões?
Lembra quando eu ia todo sábado para a sua aula? E sempre era jogada na piscina!
Como é bom ser jovem e inconseqüente (nem tão inconseqüente), e você ia pra minha casa passar um fim de semana escondido! É... às vezes eu lembro sim dos dias divertidos, do dia que fizemos sua barba, do dia que você me deu um "banho" de sorvete em Patos, das pedras de gelo que você fazia tanta questão de passar nas minhas costas, da vez que tentou me afogar na piscina, de quando vcê me chamava para ficar lá fora olhando a chuva (e me jogava na chuva), do meu apelido (bem-te-vi, lembra? Você dizia que eu tinha as pernas finas, o "buchão", era amarela, vivia fazendo bico e era metida a cantora), do seu apelido (passa-fome, o cachorro de Diorgenes que era sua cara), de Netinho escalando pelas nossas pernas para poder ver a gente se beijar de perto... Ah, você não sabe a boa! Quando você viajou e a gente acabou, netinho viu uma foto sua no meu computador e disse que aquele era meu namorado, mas eu disse a ele que você era ruim e estava com outra menina (rsrsrs) e ele disse "apois, apois se eu ver ele com outra menina eu dô nela bem muito e prendo ele num gaiola beeeem grande!" Só Netinho mesmo para me fazer rir quando eu estava com raiva de você, e quantas vezes eu estive!
Mas não era esse o assunto!
Realmente tudo foi muito divertido! Talvez pudesse ter terminado de forma melhor, ou pior, mas isso não importa mais...
Foi bom e eu aprendi muito, aprendi que estive muito errada e muito certa, muito fria e muito atenciosa, muito grossa e pouquissímo calma,
Aprendi também que não é bom estar com a razão!
Aprendi que não se conta um relacionamento pelas brigas e sim pelos momentos bons
E aprendi principalmente que após o fim de um relacionamento, mesmo que tenha sido difícil, a gente pode sim, e como pode, ser amigo!

Ao meu primeiro (e único) ex...
P.S. Por falar nisso, você, por algum acaso, não colocou alguma macumba pra mim não, não é?
Porque estou com a "leve" impressão de que vou continuar como você me deixou...

;*

Medo


[...] e no fim da minha história,
meu único medo,
O epitáfio
O que ele diria? [...]

"Na vida, morreu de muitas coisas.
De tédio, de raiva, de medo, de cansaço, e por fim, de males do corpo.
Só não teve tempo de morrer de amor."

E um booom tempo atrás


Bateu uma saudade imensa de todos aqueles momentos que contigo vivi assim que falei contigo novamente.
Confesso que exitava. Não queria ver-te novamente...
Pronto, tá bem ! Confesso que fiquei feliz ! Que estava louca por te ouvir, por ouvir-te rir, porque dissesses todas aquelas coisas malucas, que só tu sabes dizer.
Coisas malucas que eu pude sentir
Confesso que senti falta de toda aquela loucura vivida em uma semana
Confesso que também eu estou assim, tu sabes como... E que não posso estar, que não devo estar, que não é conveniente estar
já que esta infinita distância nos separa
E que vamos nós fazer? De tudo isto? Pois... deixa lá não há-de ser nada... Nós havemos de dar um jeito... não é?
Ou não...

Diga não aos covardes - Minha amiga Tati


"...Chega de ser metade aquecida, metade apreciada, metade conhecida. Chega de ser metade comida em meios horários e meio amada em histórias pela metade. Chega de sorrir para o que não me contenta e me cobrar paciência com um profundo respiro de indignação. Paciência é dom de amor aquietado, pobre, pela metade. Calma, raciocínio e estratégia são dons de amor que pára para racionalizar. Amor que é amor não pára, não tem intervalo, atropela. Não caio na mesma vala de quem empurra a vida porque ela me empurra. Ela faz com que eu me jogue em cima de você, nem que seja para te espantar. Melhor te ver correndo pra longe do que empacado em minha vida."

Aos conselhos perdidos de minhas amigas


"Por mais que todas as terapias do mundo, todas as auto-ajudas do universo e todos os amigos experientes do planeta me digam que preciso definitivamente não precisar de você, minha alma grita aqui dentro que, por mais feliz que eu seja, a festa é sempre pela metade.É você quem eu sempre busco com minha gargalhada alta, com a minha perdição humana em festejar porque é preciso festejar, com a minha solidão cansada de se enganar.!"

Eu tenho namorado


“Quem não tem namorado é alguém que tirou férias remuneradas de si mesmo. Namorado é a mais difícil das conquistas. Difícil porque namorado de verdade é muito raro. Necessita de adivinhação, de pele, saliva, lágrima, nuvem, quindim, brisa ou filosofia. Paquera, gabira, flerte, caso, transa, envolvimento, até paixão é fácil. Mas namorado mesmo é muito difícil.
Namorado não precisa ser o mais bonito, mas ser aquele a quem se quer proteger e quando se chega ao lado dele a gente treme, sua frio, e quase desmaia pedindo proteção. A proteção dele não precisa ser parruda ou bandoleira: basta um olhar de compreensão ou mesmo de aflição.
Quem não tem namorado não é quem não tem amor: é quem não sabe o gosto de namorar. Se você tem três pretendentes, dois paqueras, um envolvimento, dois amantes e um esposo; mesmo assim pode não ter nenhum namorado. Não tem namorado quem não sabe o gosto da chuva, cinema, sessão das duas, medo do pai, sanduíche da padaria ou drible no trabalho.
Não tem namorado quem transa sem carinho, quem se acaricia sem vontade de virar lagartixa e quem ama sem alegria.
Não tem namorado quem faz pactos de amor apenas com a infelicidade. Namorar é fazer pactos com a felicidade, ainda que rápida, escondida, fugidia ou impossível de curar.
Não tem namorado quem não sabe dar o valor de mãos dadas, de carinho escondido na hora que passa o filme, da flor catada no muro e entregue de repente, de poesia de Fernando Pessoa, Vinícius de Moraes ou Chico Buarque, lida bem devagar, de gargalhada quando fala junto ou descobre a meia rasgada, de ânsia enorme de viajar junto para a Escócia, ou mesmo de metrô, bonde, nuvem, cavalo, tapete mágico ou foguete interplanetário. Não tem namorado quem não gosta de dormir, fazer sesta abraçado, fazer compra junto. Não tem namorado quem não gosta de falar do próprio amor nem de ficar horas e horas olhando o mistério do outro dentro dos olhos dele; abobalhados de alegria pela lucidez do amor.
Não tem namorado quem não redescobre a criança e a do amado e vai com ela a parques, fliperamas, beira d’água, show do Milton Nascimento, bosques enluarados, ruas de sonhos ou musical da Metro.
Não tem namorado quem não tem música secreta com ele, quem não dedica livros, quem não recorta artigos, quem não se chateia com o fato de seu bem ser paquerado. Não tem namorado quem ama sem gostar; quem gosta sem curtir quem curte sem aprofundar. Não tem namorado quem nunca sentiu o gosto de ser lembrado de repente no fim de semana, na madrugada ou meio-dia do dia de sol em plena praia cheia de rivais.
Não tem namorado quem ama sem se dedicar, quem namora sem brincar, quem vive cheio de obrigações; quem faz sexo sem esperar o outro ir junto com ele.
Não tem namorado que confunde solidão com ficar sozinho e em paz. Não tem namorado quem não fala sozinho, não ri de si mesmo e quem tem medo de ser afetivo.
Se você não tem namorado porque não descobriu que o amor é alegre e você vive pesando 200Kg de grilos e de medos. Ponha a saia mais leve, aquela de chita, e passeie de mãos dadas com o ar. Enfeite-se com margaridas e ternuras e escove a alma com leves fricções de esperança. De alma escovada e coração estouvado, saia do quintal de si mesma e descubra o próprio jardim.
Acorde com gosto de caqui e sorria lírios para quem passe debaixo de sua janela. Ponha intenção de quermesse em seus olhos e beba licor de contos de fada. Ande como se o chão estivesse repleto de sons de flauta e do céu descesse uma névoa de borboletas, cada qual trazendo uma pérola falante a dizer frases sutis e palavras de galanteio.
Se você não tem namorado é porque não enlouqueceu aquele pouquinho necessário para fazer a vida parar e, de repente, parecer que faz sentido.”
por Artur da Távola





Atualizando: EU sei que eu tenho um namorado!

Michel, te amo!

Amores impossíveis - Minha amiga Tati


A vida é feita de altos e baixos. Altos, fortes, morenos, sensuais, possíveis e aquele baixinho, meio esquisito, que não sai da sua cabeça.Impressionante como a gente sofre por nada. Um cheiro que mexe com você, um jeito de olhar contido, uma idéia inteligente, várias na verdade. Não, não é nada disso, a gente sofre é pela impossibilidade. Pois é, aquele baixinho esquisito não pertence ao grupo dos amores possíveis, a graça dele pode durar uma eternidade, dependendo do seu grau de estupidez criativa. E nada melhor do que as lacunas da improbabilidade para esquentar uma paixão. Nessas lacunas você tem espaço para criar a história como quiser, ganha poder, inventa. Ele é seu, seu personagem.Nesses espaços livres você coloca todos os seus sonhos, toda a sua imaginação. Cenas completas com fundo musical e palavras certas, finais e desfechos inesperados.Quando você menos espera, ele faz mais parte da sua vida do que você mesma.Mas a realidade aparece mais cedo mais tarde, vem como uma angústia. Parece vontade de fazer xixi, mas é tesão reprimido. Tesão reprimido deve dar câncer. Era só um cara interessante, agora pode te matar.Pronto, você está apaixonada. E a paixão tem suas etapas.Primeiro a negação: eu apaixonada? Imagina. Ele é impossível, nunca vai me dar bola, muito menos duas com o que eu quero no meio.Depois a maximização: ele é mais inteligente, mais bonito, mais engraçado. E todos os mais possíveis para que ele seja mais desafio para você, mais inveja para as suas amigas, se você aparecer com ele na festa, mais fadinhas dançantes para fazer cosquinha no seu ego problemático.Daí é a vez da "superlativização": em vez de ser mais, ele é "o mais", o mais fodido, o mais inteligente e o mais gostoso.E você está a um passo do endeusamento: "ele é único", aí fodeu.Se ele é único, ele é a sua única chance de ser feliz. E, se ele não quer nada com você, você acaba de perder a sua única chance de ser feliz. Bem-vinda à depressão.Como você é ridícula, amor platônico é para adolescentes.Lá fora há milhares de possibilidades de felicidade, de felicidades possíveis. De realidade. E você eternamente trancada na porta que o mundo fechou na sua cara. Fazendo questão de questionar e atentar o inexistente. Vá viver um grande amor!Olha, faça um favor para mim, antes de tremer as pernas pelo inconquistável e apagar as luzes do mundo por um único brilho falso, olhe dentro de você e pergunte: estupidez, masoquismo ou medo de viver de verdade?

Escolha


Escolha uma cerveja. Escolha um bar. Escolha uma garrafa. Escolha uma tulipa. Escolha uma porra de uma ressaca gigantesca. Escolha fazer xixi na porta de uma loja. Escolha uma comida ruim. Escolha uma cama que gira. Escolha deitar na sarjeta. Escolha escolta policial. Escolha passar mal atrás do táxi. Escolha perder sua chave de casa um milhão de vezes antes de chegar e ainda não acertar a fechadura. Escolha ficar com pessoas feias. Escolha competições de bebida. Escolha dançar como um idiota. Escolha ligar para os amigos de duas da manhã cantando para eles. Escolha falar e/ou abraçar mendigos.Escolha vomitar em cima do cara mais bonito que está na festa. Escolha um karaokê péssimo. Escolha sexo decepcionante. Escolha bafo de cerveja. Escolha bolsos vazios. Escolha fazer xixi a cada 5 minutos. Escolha conversar com objetos inanimados. Escolha rir de coisas idiotas. Escolha adormecer no meio da festa. Escolha brigar com o pivetinho que vende cerveja. Escolha brigar com o maior cara que tem por perto. Escolha perder seu celular. Escolha falar merda. Escolha dar em cima de todas as pessoas do sexo oposto (ou não) que por acaso passarem por seu campo visual. Escolha subir em cima de uma mesa e fazer um strip. Escolha chorar por alguém que já disse que não te quer. Escolha voltar pra casa pensando que puta de uma vergonha vc passou mas já planejando o FDS que vem. Escolha seu futuro. Escolha CERVEJA.

Sobre mim


Foi principalmente para não gritar — acabo sempre fazendo coisas para não gritar, como contar esta história —, já que o grito faria ruído e o ruído abalaria os vizinhos, esses mesmos que entram e saem, e com isso, se soubessem de mim que sou cinza e longo, e possivelmente sabem, pois deve ser justamente essa a silhueta que vêem através das vidraças, que tenho um quarto vazio, isso não descobririam, desde que jamais entrarão em minha casa, saberiam também que dou gritos em horas inesperadas. Para que ninguém soubesse mais nada de mim, deixei que ganhasse forma e viesse lentamente à tona aquele pensamento. Que não era exatamente um pensamento, mas algo mais fundo, como uma anunciação, um pressentimento. Alguma coisa muito dentro de mim dizia algo informe, sem palavras, que poderia talvez ser expresso como — o outro voltará.


C.F.A.

Por Machado de Assis


"AS MELHORES MULHERES PERTENCEM AOS HOMENS MAIS ATREVIDOS"

(Machado de Assis)

Mulheres são como maçãs em árvores. As melhores estão no topo. Os homens não querem alcançar essas boas, porque eles têm medo de cair e se machucar. Preferem pegar as maçãs podres que ficam no chão, que não são boas como as do topo. Mas são fáceis de se conseguir.Assim as maçãs no topo pensam que algo está errado com elas, quando na verdade, eles estão errados...Elas têm que esperar um pouco para o homem certo chegar. Aquele que é valente bastante para escalar até o topo da árvore.



Talvez seja isso, talvez eu só esteja muuuito mas muito alta mesmo né?



Só pra não perder a piada, foi mal, desculpa, é sério vai quebrar o clima, mas se eu perder a piada eu morro:

deve é por isso que ninguem come, é foda!
Ninguem alcança.




P.S. As coisas escritas nesse blog não são necessáriamente verdade ou mentira, apenas servem para minha diversão!

Ah, e por favor, não me achem depravada ou santa, só escrevo pra me divertir!

I Won't Go Home Without You


"Não acabou esta noite
Apenas me dê mais uma chance para fazer isso dar certo
Eu posso não sobreviver durante a noite
Eu não irei para casa sem você
De todas as coisas que eu senti e nunca demonstrei
Talvez a pior seja que eu te deixei partir
Eu nunca deveria ter te deixado partir"
I asked her to stay, but she wouldn't listen
She left before I had the chance to say
The words that would mend the things that were broken
But now it's far too late, she's gone away
Every night you cry yourself to sleep
Thinking: "Why does this happen to me?
Why does every moment have to be so hard?
"Hard to believe thatIt's not over tonight
Just give me one more chance to make it right
I may not make it through the night
I won't go home without you
The taste of her breath, I'll never get over
The noises that she made kept me awake
The weight of things that remained unspoken
Built up so much it crushed us everyday
Every night you cry yourself to sleep
Thinking: "Why does this happen to me?
Why does every moment have to be so hard?"
Hard to believe that
It's not over tonight
Just give me one more chance to make it right
I may not make it through the night
I won't go home without you
It's not over tonight
Just give me one more chance to make it right
I may not make it through the night
I won't go home without you
Of all the things I felt but never really shown
Perhaps the worst is that I ever let you go
I should not ever let you go, oh oh oh
Maroon Five

Vai passar



Vai passar, tu sabes que vai passar. Talvez não amanhã, mas dentro de uma semana, um mês ou dois, quem sabe? O verão está ai, haverá sol quase todos os dias, e sempre resta essa coisa chamada “impulso vital”. Embora saibas que há perdas realmente irreparáveis e que um braço amputado jamais se reconstituirá sozinho. Já não é tempo de desesperos. Refreias quase seguro as vontades impossíveis. Depois repetes, muitas vezes, como quem masca, ruminas uma frase escrita faz algum tempo.



C.F.A

Ele quem mesmo? (Martha Medeiros)


Depois de um bom tempo dizendo que eu era a mulher da vida dele, um belo dia eu recebo um e-mail dizendo: "olha, não dá mais". Tá certo que a gente tava quase se matando e que o namoro já tinha acabado mesmo, mas não se termina nenhuma história de amor (e eu ainda o amava muito) com um e-mail, não é mesmo? Liguei pra tentar conversar e terminar tudo decentemente e ele respondeu: "mas agora eu tô comendo um lanche com amigos". Enfim, fiquei pra morrer algumas semanas até que decidi que precisava ser uma mulher melhor para ele. Quem sabe eu ficando mais bonita, mais equilibrada ou mais inteligente, ele não voltava pra mim? Foi assim que me matriculei simultaneamente numa academia de ginástica, num centro budista e em um curso de cinema. Nos meses que se seguiram eu me tornei dos seres mais malhados, calmos, espiritualizados e cinéfilos do planeta. E sabe o que aconteceu? Nada, absolutamente nada, ele continuou não lembrando que eu existia. Aí achei que isso não podia ficar assim, de jeito nenhum, eu precisava ser ainda melhor pra ele, sim, ele tinha que voltar pra mim de qualquer jeito. Decidi ser uma mulher mais feliz, afinal, quando você é feliz com você mesma, você não põe toda a sua felicidade no outro e tudo fica mais leve. Pra isso, larguei de vez a propaganda, que eu não suportava mais, e resolvi me empenhar na carreira de escritora, participei de vários livros, terminei meu próprio livro, ganhei novas colunas em revistas, quintupliquei o número de leitores do meu site e nada aconteceu. Mas eu sou taurina com ascendente em áries, lua em gêmeos e filha única Eu não desisto fácil assim de um amor, e então resolvi que eu tinha que ser uma super ultra mulher para ele, só assim ele voltaria pra mim. Foi então que passei 35 dias na Europa, exclusivamente em minha companhia, conhecendo lugares geniais, controlando meu pânico em estar sozinha e longe de casa, me tornando mais culta e vivida. Voltei de viagem e tchân, tchân, tchân, tchân: nem sinal de vida. Comecei um documentário com um grande amigo, aprendi a fazer strip, cortei meu cabelo 145 vezes, aumentei a terapia, li mais uns 30 livros, ajudei os pobres,rezei pra Santo Antonio umas 1.000 vezes, torrei no sol, fiz milhares de cursos de roteiro, astrologia e história, aprendi a nadar, me apaixonei por praia, comprei todas as roupas mais lindas de Paris. Como última cartada para ser a melhor mulher do planeta, eu resolvi ir morar sozinha. Aluguei um apartamento charmoso, decorei tudo brilhantemente, chamei amigos para a inauguração, servi bom vinho e comidinhas feitas, claro, por mim, que também finalmente aprendi a cozinhar. Resultado disso tudo: silêncio absoluto. O tempo passou, eu continuei acordando e indo dormir todos os dias querendo ser mais feliz para ele, mais bonita para ele, mais mulher para ele. Até que algo sensacional aconteceu! Um belo dia eu acordei tão bonita, tão feliz, tão realizada, tão mulher que eu acabei me tornando mulher demais para ele. Ele quem mesmo?

[tomara, meu Deus, tomara]

Antigamente, quando parecia que eu queria amar alguém


Sempre é muito complexo o sentido da morte, será ela apenas o fim da vida ou será uma salvação para as almas desesperadas? Será que a morte sempre é ruim?
Para mim a morte é não estar nos braços de quem amo, não poder sentir sua boca a beijar-me, suas mãos a acariciar-me, não poder ver o brilho dos seus olhos, não escutá-lo dizer a cada dia, a cada minuto que me ama, não poder fazê-lo sorrir ou chorar com ele...
Mas nem sempre a morte é ruim, ou pelo menos nem sempre parece ser. Às vezes muitas pessoas preferem morrer a não ter ao seu lado as pessoas amadas o que dá um aspecto “consolador” à morte ou pelo menos melhor que a saudade. Essas pessoas têm mais medo da saudade do que da morte, mas o que seria pior? Saber que quem você ama morreu, mas sempre te amou ou saber que quem você ama está vivo, mas nunca vai te amar?
Qual será o tempo certo de morrer? Existe um tempo certo para morrer? Talvez a morte seja boa para quem está do outro lado. Nós temos que entender que é patético tentar evitar o inevitável: a morte. Talvez só reste nos consolarmos e não deixar que a verdadeira morte na qual deixamos a mágoa, a tristeza e a raiva afogarem nosso coração e é aí onde devemos realmente chorar pois com o coração morto não conseguimos amar e sem amor é como se não existíssemos.
Nunca perca uma oportunidade de dizer o que sente, pois essa oportunidade pode passar e você pode morrer sem ter a chance de dizer a alguém que você realmente o ama!!!

Pobre menina, desiludida e metida a poeta



Um dia, ouvi dizer que amar era bom. Será que é mesmo??? Eu acho que apenas os tolos amam de verdade. Uma vez eu fui feliz e foi exatamente quando não sabia o que era o amor; quando não amava ninguém.

Amar alguém é sofrer com saudade mesmo quando se está perto; abraçar já sentindo a solidão do “fim do abraço”; sorrir de alegria com lágrimas nos olhos pensando na despedida.
Amar também é desesperar-se na falta do outro; morrer um pouco só por não poder respirar o mesmo ar; temer a escuridão, não por ela ser misteriosa, mas por perder seu amor de vista.
Talvez um pouco de ciúme de si próprio; medo do futuro que as próprias ações ocasionarão. E que futuro é esse que nos põe em situações triviais com escolhas “comuns” que na verdade nos escondem a verdadeira escolha é entre si próprio e o amor, entre diferentes amores?

Amar é complicado! À partir de qual momento pode-se dizer que amamos alguém? E até que ponto deve-se superar os obstáculos?
Talvez nós amemos alguém a partir do momento no qual paramos em um lugar qualquer, ignoramos as pessoas ao nosso redor e simplesmente escrevemos um texto sobre algo que mal sabemos o que realmente é!

Acho que devemos superar os obstáculos até quando tivermos força não só para levantar de uma queda, mas também para levantar os outros.Possivelmente amar pode ser algo insano, porém não mais insano que o próprio ser humano, que, querendo ou não se entrega ao amor.

UmDiaNaMinhaVida*





Foi um dia maravilhoso, melhor impossível
Pela manhã comprei roupas
Existe coisa melhor pra começar um dia?!


Depois fui pra uma festa do curso,
Foi muito divertido, algumas pessoas ficaram bêbadas, outras conseguiram confusão... é, acho que algumas se enrascaram de verdade!
Pra maioria foi muuuuito bom!
Algumas pessoas foram jogadas na piscina, outras se jogaram!
A música era perfeita.
Ah, e eu cantei! Foi engraçado, parece que gostaram da minha voz.
Devem ter gostado, recebi um convite pra cantar em uma banda!


E acabou a festa! Já era noite!
Fazia muito tempo que nada tinha sido assim.
Praia, violão (dessa vez não foi o "dele"), boas músicas, ótima companhia...
E começou a acontecer assim


Não sei como ou porque mas de repente todo mundo sumiu
Eu achava que não era pra ficar ali,
mas ao mesmo tempo não queria sair
Ele perguntou se devíamos ir ao encontro das outras pessoas,
eu pensei que sim, mas novamente não quis ir
E a conversa foi continuando
Ora ao som do violão ora ao som apenas das ondas


Confesso falei demais,
antes falar que calar!
É... acho que ele não gostou muito do que ouviu
mas ouviu só verdades!
Foi muito bom,
Quanto tempo faz que tive uma conversa tão boa?
Nem lembro... não importa!
Era tão bom ouvir a voz dele e aconteceu uma coisa que também a muito não acontecia
Perdi a noção do tempo!
Nem sei mais sobre o que conversávamos
Só sei que senti uma confiança enorme, segurança
Sensação boa! Nunca mais tinha sentido isso tão rápido com relação a uma pessoa!


Sinto um frio na barriga! Acho que vou acabar metendo os pés pelas mãos
(pra variar)


Saldo do dia:

  1. 4 blusas e 2 shorts
  2. Uma feijoada deliciosa
  3. Uma campanha pra pintar o resto do meu cabelo
  4. Dois copos de cerveja
  5. Uma confusão (acho que alguém se deu mal)
  6. Outro muido
  7. Um banho de piscina com uma blusa branca
  8. Um convite pra cantar em uma banda
  9. Risos das gafes de algumas bêbadas
  10. Um cardápio da Empadinha Barnabé
  11. Bom violão, ótima música, excelente companhia
É... acho que foi um dia perfeito!



P.S. Acho que essas confusões ainda vão me render dores de cabeça

E nas minhas visitas a blogs alheios


Juuuro! Não queria lembrar
Mas tudo em leva a ele! Inferno!
E agora começo a achar que nunca vai acabar

P.S. Antes de começar, as partes em parenteses são minhas!




O meu amor de criança


Aquilo que eu nunca te disse!...

Talvez já, mas não como exprimirei aqui!

Não sei como me sentirei quando acabar (mal ! já acabou)
Não sei se o meu coração vai chorar
O que eu sei é que serás sempre tu, tu e apenas tu na minha vida!
Representas o heroi da minha trama...

O mais belo quadro da minha galeria...
O quadro que não tem preço pois nunca será vendido e estará sempre comigo... o mais valioso!
Lembras-te do simples olhar trocado?
Talvez não! Mas eu senti!
O passo de dança...
Eh!... Parece que deste ja te lembras!!

Não importa!
Não importa quantas na tua vida aparecerão...
Não importa quantos na minha vida existirão...
Foste, és e serás sempre o último...
o ultimo e o único!

Uma obsessão!? Quiçá!
Uma obsessão que não passa...
que para sempre será...
A minha obsessão favorita!

Tenho medo de perder-te de vista...
quero-te sempre por perto
perto do meu olhar...
Sou apaixonada pelo que sinto por ti...
Pois eh tão grande e belo e está dentro de mim...
Sou apaixonada pela tua postura, a tua voz celestial, o teu sorriso, tuas palavras, pelo teu beijo embora ja me tenha esquecido o quão é tao bom estar com os lábios presos aos teus!
Do teu abraço nunca me esqueço...
tão pouco da tua agilidade...
do teu sentido de humor e da tua nata timidez!...

So o fato de estar no mesmo ambiente que tu, ja me torna feliz e realizada!
Quando chegar ao auge da minha existência
saltarei ate ao céu e falarei com as estrelas sobre ti!
Mais cedo ou mais tarde
Eu acredito que...
Seremos um só

por meumundoastral.blogspot

Por não estarem distraídos, Clarice Lispector


Uma obsessão!? Quiça!
Uma obsessão que não passa...
que para sempre será...
A minha obsessão favorita!







"Havia a levíssima embriaguez de andarem juntos, a alegria como quando se sente a garganta um pouco seca e se vê que por admiração se estava de boca entreaberta: eles respiravam de antemão o ar que estava à frente, e ter esta sede era a própria água deles.Andavam por ruas e ruas falando e rindo, falavam e riam para dar matéria peso à levíssima embriaguez que era a alegria da sede deles. Por causa de carros e pessoas, às vezes eles se tocavam, e ao toque - a sede é a graça, mas as águas são uma beleza de escuras - e ao toque brilhava o brilho da água deles, a boca ficando um pouco mais seca de admiração.Como eles admiravam estarem juntos! Até que tudo se transformou em não. Tudo se transformou em não quando eles quiseram essa mesma alegria deles. Então a grande dança dos erros.O cerimonial das palavras desacertadas. Ele procurava e não via, ela não via que ele não vira, ela que, estava ali, no entanto.No entanto ele que estava ali. Tudo errou, e havia a grande poeira das ruas, e quanto mais erravam, mais com aspereza queriam, sem um sorriso. Tudo só porque tinham prestado atenção, só porque não estavam bastante distraídos. Só porque, de súbito exigentes e duros, quiseram ter o que já tinham. Tudo porque quiseram dar um nome; porque quiseram ser, eles que eram.Foram então aprender que, não se estando distraído, o telefone não toca, e é preciso sair de casa para que a carta chegue, e quando o telefone finalmente toca, o deserto da espera já cortou os fios.Tudo, tudo por não estarem mais distraídos."

If... when?


Past the point of no return
No backward glances
Our games of make believe are at an end
Past all thought of "if" or "when"
No use resisting



Sabe, eu fico pensando em uma das vezes que a gente brigou! Daquela vez voltou, por que dessa tem que ser diferente? Eu estava com muita raiva de você e disse que não o queria perto de mim, e depois você me abraçou e não soltou, sabe que aquele dia foi o dia que mais me senti bem? Será que o que falta dessa vez é a raiva? Será que se eu estivesse com raiva você voltaria?
Não esqueço. Não tenho como esquecer. Por que você me abraçou daquele jeito? Você tinha dito que não teria mais volta. Foi mentira! Por que dessa vez tem que ser verdade?
Caramba! Eu sei que não tem volta, mas prefereria não saber, talvez esperar doesse menos, mesmo que não fosse voltar.
Não quero mais ver você. Não quero lembrar!
Mas como se sempre te encontro? Como se essa maldita lágrima ainda está caindo?

Music of the nigth


Night-time sharpens,
heightens each sensation...
Darkness stirs and wakes imagination
Silently the senses
abandon their defences...

Slowly, gently
night unfurls its splendour...
Grasp it, sense it
tremulous and tender...

Turn your face away
from the garish light of day,
turn your thoughts away
from cold, unfeeling light
and listen tothe music of the night...

Close your eyes and surrender to yourdarkest dreams!
Purge your thoughts of the lifeyou knew before!
Close your eyes,let your spirit start to soar!
And you'll live as you've never lived before...
Softly, deftly,music shall caress you...

Hear it, feel it, secretly possess you...
Open up your mind,let your fantasies unwind,
in this darkness that you know you cannot fight
-the darkness ofthe music of the night

Let your mind start a journey through a strange, new world!
Leave all thoughts of the life you knew before!
Let your soul take you where you long to be!
Only then can you belong to me...

Floating, falling,sweet intoxication!
Touch me, trust me,savour each sensation!
Let the dream begin
let your darker side give into the power of the music that I write
-the power ofthe music of the night...

You alone
can make my song take flight
- help me make the music of the night...

E por assim vai


Às vezes sinto um aperto
Não um aperto de abraço (ah como eu queria que fosse de um abraço)
Um aperto no peito
Aperto de saudade
Aperto de tristeza

Tristeza por tudo que passou
Saudade de T-U-D-O aquilo (e como eu gostava daquilo, como ele me faz falta)
Tristeza por não ter vivido mais
Saudade inclusive do que não existiu

Falta daquele abraço (que na verdade nunca foi só um abraço)
Falta daquele beijo
Só não sinto falta daquela situação (mas não vou mentir: eu gostava!)
Não sinto falta das músicas, afinal elas me perseguem
Nem desse maldito violão (por que ele tem que ficar olhando pra mim?)

Sinto novamente um aperto
Sinto ausência
Sinto solidão
Lembro do beijo, do cheiro [I-N-F-E-R-N-O]
Sinto não sentir mais

Vivo numa constante inconstância
Não consigo mais fugir desse mundo pra meu mundinho!

Ele se apossou do meu mundinho (mais ainda)

Se você quisesse saber ~ Tati


“Eu tenho vontade de te contar tantas coisas. Mas você não sabe como dói e como é solitário ser gente. Mas gente acha só que é mais uma perda de tempo. E eu, que sei lá que merda sou, queria muito que não fosse. Me dá de novo a vontade de ir embora. Eu to sempre indo embora, mas aí vai um super clichê...: é de tanto que eu só queria ficar. E queria que você não achasse que sou sempre louca, ainda que eu seja... Ser gente é um saco, um porre, uma coisa entravada no peito. Mas o que eu queria mesmo te dizer é que, só porque talvez você queira saber, nem gente mais eu ando conseguindo ser.”

E dessa vez parece que Tati escreveu pra mim



"...De energia presa num interesse congelado que grudei nos seus olhos, ainda me pergunto se minha clareza não te cegou. Minha energia em potencial, louca para cair de um longo prédio de andares divertidos e morrer tristemente no vazio de um fim certo para um sonho improvável, está zerada na espera de um estalar de dedos... Estale os dedos e olhe para o chão. Eu estarei ali, arrastada em possibilidades e forte em atração para subir até o andar para o qual você me der asas. Sei, como sempre soube desde que tomei noção de minha existência baseada em vôos com horas marcadas para quedas, que vou me estabacar em pedaços mais uma vez. E sei que os juntarei novamente, me jurando preservação. E, assim que estiver inteira, estarei novamente cheia de vontade de sair dando encontrões com o mundo. Por hora lhe agradeço. Voltaram a gritar os teclados espancados de sentidos para traduzir uma alma que já não cabe mais em seu estado natural. Agradeço-lhe o sorriso estúpido que por mais banal que seja nos faz sentir negritados em meio a tantos seres e suas aspirações. Agradeço-lhe a vontade de errar, sem ela minha vida não parece certa."

E mais uma vez ela esteve errada


Droga, como ela pôde se enganar tanto? Como ela acreditou que não gostava dele? Ela consegue mentir tão bem que é capaz de acreditar nas próprias estorias. Dessa vez ela conseguiu uma proeza sem igual! Contou a todos,inclusive a ele, que o tinha esquecido, parece que deu certo. Você ouviu falar que se você conta uma mentira muitas vezes ela vira verdade? É... mas não funcionou tão bem assim, quer dizer, não de verdade, porém ela quis tanto que até ela acreditou. Pobre garota! Estava errada, não o tinha esquecido, não o esqueceu! Por um tempo ela acreditou que não sentia mais falta dele, ela realmente não sentia, mas o que aconteceu naquele dia? Parece que "caiu a ficha", ou talvez a sanidade tenha acabado. Ela não sabe explicar o que aconteceu naquele momento, ela apenas sabe que não queria que isso tivesse acontecido.

É assim que me vejo


andando sem chão, de olhos fechados, com um frio na barriga sem saber a sequencia certa dos fatos;
deformando os lugares para ver se eles se encaixam em mim, mas é inútil, não há como encaixar algo a alguém que não tem forma definida ainda;
andando só, procurando um destino, brincar, dirvertir, chorar, sentir, ser...
às vezes como uma boneca, abandonada depois dos risos, talvez divertida demais pra ser levada à sério...
olhando para cima, procurando uma perspectiva divina, divertida ou quem sabe talvez sóbria para me curar dessa doença;
vivendo numa bolha de onde é impossível sair ou ser notada, respirando apenas pelo simples impulso,
caindo, inevitávelmente, em um abismo surreal
ou quem sabe vivendo fora da bolha e vendo o mundo pelo simples reflexo, incompreensível, incomunicável?
viajando de um lado ao outro tentando aprender a ser preto-e-branco num mundo furta-cor
vivendo como criança que chega em frente a uma loja de brinquedos e não sabe nem o que pensar
meio deformada pelos acidentes diários, mas quem disse que ser deformado é necessáriamente ser feio?


Essa espera sem certeza de um fim é o que me mata


E assim meu ciclo de vida mostra que é mesmo um círculo;
vão-se voltas e mais voltas e me vejo sempre presa nesse mesmo ponto.
O curioso?
Estou de volta ao meu ponto inicial.
Mas essa não é a primeira volta do círculo,
já passei por esse circulo e da última vez foi beeeeem mais fácil.


P.S. Acho que esse desenho foi realmente inspirado em mim, bem... olhando pelo lado bom, no fim da espera eu vou estar magra e com o cabelo menos volumoso! *e se a inscrição da pedra for verdadeira e ele chegar vai valer à pena

Come back to me ~ David Cook



E mais uma vez as malditas músicas que não me deixam em paz!
Será que sempre eu vou achar uma música que tenha você?

You say you're leaving as you look away / I know there's really nothing left to say / Just know I'm here whenever you need me / I will wait for you / So I'll let you go / I'll set you free And when you've seen what you need to see / When you find you / Come back to me / Take your time / I won't go anywhere / I picture you with the winds in your hair / I'll keep your things right where you left them / I'll be here for you / I hope you find everything that you need / I'll be right here waiting to see / When You find you / Come back to me / I can't get close if you're not there / I can't get inside if there's no soul there / I can't fix you / I can't save you / It's something you have to do / So I'll let you go / I'll set you free / And when you've seen what you need to see / When you find you / Come back to me / Come back to me

E não podia ter sido mais parecido à mim:

Você diz que está partindo conforme olha para longe Eu sei que não há nada mais para dizer Apenas saiba que estarei aqui quando precisar de mim, esperarei por você Então eu te deixarei ir, te libertarei E quando você tiver visto o que você precisa ver Quando você se encontrar Volte pra mim Não se apresse, Eu não vou a lugar algum Eu imagino você com o vento no seu cabelo Manterei suas coisas exatamente onde você as deixou, estarei aqui por você Espero que você encontre tudo o que precisa Estarei exatamente aqui esperando para ver Você se encontrar Volte pra mim Não posso me aproximar se você não está lá Não posso entrar se não há alma para descobrir Não posso te consertar, Não posso te salvar É algo que você precisa fazer Então eu te deixarei ir, Te libertarei E quando você tiver visto o que você precisa ver Quando você se encontrar Volte pra mim Volte pra mim

Desejo


Eu desejo... Eu desejo um beijo, uma carícia, uma frase de amor de quem gosto; desejo estar perto dele, sentir o beijo doce e as formas do seu corpo... Desejo que este sentimento que tenho, que não sei se é amor, nunca se acabe e que sempre seja correspondido; desejo acima de tudo, que se isso for amor, ele me ame com a mesma intensidade.
Desejo que ele não faça o que alguns outros fizeram, pois todos me vêem como um brinquedo de criança mimada, o qual as crianças usam durante um certo período de tempo, depois abusam e antes o que era diversão agora só serve para enfeitar a estante, para olhar e dizer a todos os amigos que já brincou com aquele brinquedinho.
Desejo que nele eu ache a felicidade que procuro, a paz que eu juro (juuuuro) que preciso e o amor que parece inatingível. Desejo com ele viver uma vida de felicidade, a qual sempre sonhei para mim; desejo que ele ma ensine a viver junto dele e me ensine a começar minha vida mais uma vez, me ensine como amar de novo, me faça perder o medo de amar e que me dê uma razão para acordar feliz todos os dias, e uma razão para lutar todos os dias para melhorar minha vida, me ajude a enxergar o mundo de uma maneira mais bela, mais suave.
Desejo viver de verdade. Eu apenas desejo viver com quem um dia vou amar, e nem que seja por um curto período de tempo ter o amor dele e ele apenas para mim, para poder dizer que pelo menos por um dia eu fui completamente feliz.

If Only


Se eu fosse você, eu me procuraria. Me amaria. Sentiria saudades de mim. Choraria, à noite, sozinho no quarto.
Se eu fosse você perguntaria sobre mim a todos meus amigos. Olharia minhas fotos. Lembraria de mim a todo instante.
Se eu fosse você sentiria vontade de sair correndo pra procurar por mim. Me mudaria pra casa vizinha a minha. Sumiria com todos os outros homens do mundo pra me ter só pra você.
Se eu fosse você me olharia todo dia. Me desejaria todo momento. Estaria sempre no mesmo lugar que eu.
Se eu fosse você, eu me amaria bem mais. Me ligaria e me diria tudo isso.
Exatamente assim.


by tatah

Estranho seria se eu não me apaixonasse por você [...]


Well how long, can I go on like this/ Wishing to kiss you, Before I rightly explode?/ This double life I lead isn't healthy for me In fact it makes me nervous/ If I get caught I could be risking it all Baby there's a lot that I miss/In case I'm wrong Well all I really wanna do is love you A kind much closer than friends use But I can't say it after all we've been through [...] I think it might kill me


Caramba! Eu ainda gosto dele, ainda o quero! Quanto tempo eu ainda vou ficar pensando nele? Eu até consegui me enganar por um tempo... Está doendo muito! Eu odeio aquele violão, aquele dia, aquela voz, aquele beijo... Aquele beijo que me arrepiou, aquele abraço que fez com que eu me sentisse a pessoa mais segura do mundo, aquilo tudo que acelerava meu coração! Odeio aquele show, maldito show! Odeio todos os momentos que passei com ele, odeio lembrar dos momentos que esperei ele e ele não veio, odeio lembrar das vezes que ele veio. Odiei ficar com ele, odiei ficar sem ele! Odeio todas as vezes que fiquei calada e odeio mais ainda as vezes que falei o que eu queria! Odeio ter pensado nele, odeio estar pensando nele agora! Lágrimas, malditas lágrimas, porque vocês caem por ele se ele não se importa? Ele não as quer, muito menos quer a mim! Odeio aquela forma que o tempo tinha de não passar quando eu estava com ele, era como se as horas fossem longas, por mais que eu falasse por horas ainda havia mais um milhão de coisas que sequer tinha pensado em comentar! E por que essas músicas que lembram ele continuam tocando? Por que eu ainda gosto das mesmas músicas que ouvi ele tocar? Por que tudo aconteceu ao som dessa música? Por que as situações se repetem? Por que tudo começou? Não quero respostas, não quero tempo! Não quero explicações, na verdade mesmo se elas existissem elas não me interessariam! Era mentira minha! Eu gostava sim do jeito que parecia, só disse que não gostava pra não o ver mal, acho que na verdade até me convenci que não gostava. Sabe o engraçado? Ontem foi meu aniversário, eu bebi e você estava lá, eu não tenho a mínima noção do que eu fiz, mas sabe o que meu amigo me contou? Contou que na hora que você saiu eu o abracei e pedi "Não me deixa ir atrás dele, por favor". Não é engraçado? Eu mal tinha noção de como estava em pé mas sabia que eu queria ir atrás de você. Não se preocupe, eu também sabia que não podia ir! E mesmo assim perguntava se ele ainda conseguia te ver, não devia me importar mais, agora nossos laços são outros, ou pelo menos tentam voltar ao normal. Será que tudo foi um erro? Será que as coisas eram do jeito que você me dizia ou você só me dizia daquele jeito pra me ver bem? Quanto tempo será que essa dor vai durar? Se eu pudesse escolher, talvez eu fosse outra pessoa. Por que tudo pareceu tão rápido? Eu queria, ou melhor eu não queria viver tudo isso de novo, mas será que o tempo não poderia colocar as coisas no lugar? Eu não sei se me precipitei, mas se isso fosse daqui a algum tempo será que teria sido diferente, teria acontecido? Será que... sei lá! Perdi muitas coisas pensando em formas de burlar o tempo e as pessoas pra ficar mais perto dele. Burlar o tempo que eu acabei perdendo e que só agora eu sei que perdi pensando que as coisas que eu via eram reais, como se você guardasse alguma lembrança! Em tempo, eu pertenci a você. Não foi como devia ser, na verdade nem foi. Talvez eu tenha sido sozinha e isso não bastava, não bastava como não bastou apenas decidir os termos, como talvez a gente não tenha se arriscado o bastante. Maldita música. Maldito carnaval. Maldito show. Maldita paixão. Maldita circunstância. Maldita decisão!
Ao final de tudo sobraram as lágrimas que desperdicei enquanto escrevi por uma paixão inviável e para alguém que nem sequer quero que leia. O que escrevi como um pedido de socorro, um pedido pra que alguém que já foi ficar, um pedido para ouvir coisas que não vão ser ditas, pedindo pra esquecer algo que eu não quero esquecer, talvez apenas uma justificativa.

'Se eu peco é na vontade de ter um amor de verdade. Pois é que assim em ti eu me atirei e fui te encontrar pra ver que eu me enganei...'